giliard
Este comentário foi postado original no Banco de Séries e pode não estar atualizado.

Foi um fim digno que fechou o que a série construiu de maneira bastante coerente. Bom salientar que a série nunca teve a intenção de adaptar fielmente as HQs, mas o que mais importava pelo menos pra mim sempre esteve ali, que é o humor negro, a insanidade e loucura das histórias de Garth Ennis.

Foto: Reprodução/AMC

A essência da coisa. Faltou coisas de fato, o arco de Salvation foi ignorado, mas talvez já era previsto pois Odin Quincannon já foi colocado de cara na primeira temporada, então ficamos mesmo sem conhecer a mãe do Jesse, que aqui deve ter ficado morta mesmo.

Acredito que a série era pra ter durado mais, só que o caso de Preacher na AMC me lembra The Wire na HBO, audiência bem baixa mas mesmo assim foi sendo renovada até onde foi possível e ser finalizada corretamente.

O último episódio ainda nos dá alguns momentos célebres das HQs, como Eugene rockstar (babando também, que não tinha ocorrido, salve engano) e também outro grande momento que é O Santo dos Assassinos matando Deus e tomando o seu lugar. Gostei muito mais do final do trio na série do que na HQ, foi justo com os 3 e Cassidy não morreu pelo Jesse.

Foto: Reprodução/AMC

Em suma, curti bastante a jornada. Valeu, AMC, Seth Rogen, Sam Catlin, Evan Goldberd e cia.

Os comentários estão desativados.

Certificate